A Páscoa e os novos começos

Cristo morreu e ressuscitou, segundo as Escrituras” (1Coríntios 15.3). O livro de Atos registra a pregação primordial da igreja: “Com grande poder, os apóstolos davam testemunho da ressurreição do Senhor Jesus, e em todos eles havia abundante graça” (4.33).

O Redentor completou sua obra. A dívida do homem para com Deus foi paga, a maldição e cadeias do pecado foram canceladas e rompidas. Tal obra é suficiente para nossa salvação futura e nossas lutas presentes. Na morte e ressurreição encontramos uma declaração divina sobre a possibilidade de novos começos.

Afirma-se, incorretamente, que “só não há jeito para a morte”. O evangelho revela que Cristo destruiu “aquele que tem o poder da morte, a saber, o diabo” (Hebreus 2.14). Um dia, revestidos de imortalidade, cantaremos: “Onde está, ó morte, a tua vitória? Onde está, ó morte, o teu aguilhão?” (1Coríntios 15.54-55). Deus vence até mesmo o mais terrível dos inimigos, destituindo-o de seu sentido final e absoluto.

Por causa da ressurreição podemos lidar com cada um de nossos problemas. Por mais que as coisas se configurem negativamente, há esperança: “Ao anoitecer pode vir o choro, mas a alegria vem pela manhã” (Salmo 30.5). Situações difíceis podem ser enfrentadas com paciência (1Pedro 2.20-25).

A ressurreição nos ajuda nos recomeços. Por diversos motivos, nos afastamos dos meios de graça (oração, Palavra de Deus, sacramentos e comunhão dos irmãos). Isso pode acontecer devido a uma cilada pecaminosa (uma rede de atrativos que nos seduz e conquista), tribulações (somos impactados por fatos dolorosos e traumáticos) ou mesmo fraqueza ou desânimo. Diminuímos nossa frequência ou até mesmo abandonamos as reuniões da igreja. Nos sentimos inadequados. Será que Deus nos receberá? Os irmãos nos acolherão?

Olhemos para a revelação da Páscoa: Morte e ressurreição, trevas e alvorada. Entre os eleitos de Deus, não há pecado que não possa ser perdoado; não há coração que não possa ser purificado; não há estado de espírito que não possa ser transformado; não há emaranhado que não possa ser desfeito; não há ânimo que não possa ser reavivado; não há compromisso que não possa ser retomado: “Eis que faço novas todas as coisas. […] Escreve, porque estas palavras são fiéis e verdadeiras” (Apocalipse 21.5).

A Páscoa contém um convite. Creiamos em Cristo e recebamos vida. O Senhor que morreu e ressuscitou nos convoca a confiar e amar mais. Desfrutemos de sua graça. Perseveremos nele, transbordando do poder de sua morte e ressurreição.

Rev. Misael. E-mail misael@ipbriopreto.org.br. Publicado no Boletim 069, de 24/04/2011.

Um comentário

  1. Rogério S Socio

    Dou graças a Deus por tão grande Salvação em Cristo Jesus. Louvado seja o nosso Senhor e Salvador.

Comentários desabilitados.

Damos valor à sua privacidade

Nós e os nossos parceiros armazenamos ou acedemos a informações dos dispositivos, tais como cookies, e processamos dados pessoais, tais como identificadores exclusivos e informações padrão enviadas pelos dispositivos, para as finalidades descritas abaixo. Poderá clicar para consentir o processamento por nossa parte e pela parte dos nossos parceiros para tais finalidades. Em alternativa, poderá clicar para recusar o consentimento, ou aceder a informações mais pormenorizadas e alterar as suas preferências antes de dar consentimento. As suas preferências serão aplicadas apenas a este website.

Cookies estritamente necessários

Estes cookies são necessários para que o website funcione e não podem ser desligados nos nossos sistemas. Normalmente, eles só são configurados em resposta a ações levadas a cabo por si e que correspondem a uma solicitação de serviços, tais como definir as suas preferências de privacidade, iniciar sessão ou preencher formulários. Pode configurar o seu navegador para bloquear ou alertá-lo(a) sobre esses cookies, mas algumas partes do website não funcionarão. Estes cookies não armazenam qualquer informação pessoal identificável.

Cookies de desempenho

Estes cookies permitem-nos contar visitas e fontes de tráfego, para que possamos medir e melhorar o desempenho do nosso website. Eles ajudam-nos a saber quais são as páginas mais e menos populares e a ver como os visitantes se movimentam pelo website. Todas as informações recolhidas por estes cookies são agregadas e, por conseguinte, anónimas. Se não permitir estes cookies, não saberemos quando visitou o nosso site.

Cookies de funcionalidade

Estes cookies permitem que o site forneça uma funcionalidade e personalização melhoradas. Podem ser estabelecidos por nós ou por fornecedores externos cujos serviços adicionámos às nossas páginas. Se não permitir estes cookies algumas destas funcionalidades, ou mesmo todas, podem não atuar corretamente.

Cookies de publicidade

Estes cookies podem ser estabelecidos através do nosso site pelos nossos parceiros de publicidade. Podem ser usados por essas empresas para construir um perfil sobre os seus interesses e mostrar-lhe anúncios relevantes em outros websites. Eles não armazenam diretamente informações pessoais, mas são baseados na identificação exclusiva do seu navegador e dispositivo de internet. Se não permitir estes cookies, terá menos publicidade direcionada.

Visite as nossas páginas de Políticas de privacidade e Termos e condições.

Ao navegar neste site, você aceita os cookies que usamos para melhorar sua experiência. Mais informações.