Frustração, cansaço e cinismo

Se existe alguma certeza na vida além da morte e dos impostos, é a de que ninguém gosta de esperar. Especialmente em nossa era acelerada, em que os benefícios da tecnologia contribuíram para elevar a ansiedade, a espera pode ser fonte de angústia profunda.

A angústia da espera foi sentida pelo povo de Deus. O ponto alto da vida de Israel, em termos de prosperidade econômica, unidade política, segurança e vida com Deus esteve no reinado de Salomão, colhendo o fruto plantado por Davi. A glória do templo funciona como um símbolo da glória do povo de Deus e da cidade santa. Mas logo após o reinado de Salomão, o reino foi dividido em dois: reino do norte, com a capital em Samaria, e reino do sul, com a capital em Jerusalém.

O reino do norte experimentou uma sequência de reis que desonraram ao Senhor e abraçaram costumes dos povos pagãos em volta. Como resultado, o reino foi invadido, dominado e destruído pela Assíria em 722 a.C.

O reino do sul foi preservado por Deus, com uma mistura de reis fiéis e infiéis ao Senhor. Mas em 586 a.C., foi invadido pelo império babilônico, e o povo de Deus foi levado ao exílio. Cumprido o tempo da disciplina, o Senhor decidiu levar o Seu povo novamente para Jerusalém, e fez isso levantando o imperador persa, Ciro, que derrubaria a Babilônia e permitiria o retorno dos hebreus a Jerusalém. A primeira caravana retornou da Babilônia por volta de 538 a.C.

Imagine a alegria dos judeus retornando a sua terra. Confiantes na promessa de restauração de Deus, aguardavam o restabelecimento de uma cidade gloriosa, um segundo templo cuja glória seria maior do que a do primeiro. Isso, porém, não se concretizou.

Já se passaram 100 anos; estamos entre 440-430 a.C. O segundo templo não se tornou mais glorioso do que o primeiro, a cidade não experimenta a prosperidade de outrora, ainda há ameaça de inimigos, e não se tem grandes perspectivas à frente.

O povo exibe os sinais do cansaço da espera. Há uma dinâmica mais profunda em jogo. A frustração inicial deu lugar ao cansaço, que fez o povo ter dúvidas quanto ao Senhor e Suas promessas. A dúvida abriu caminho para o cinismo e, finalmente, a iniquidade se tornou a norma.

Malaquias profetiza a um povo que resiste a Deus como resultado da frustração e desânimo originais. Deus poderia, simplesmente, abandonar o povo rebelde, mas faz diferente: Ele se aproxima e conversa com Seus filhos. Na conversa, aprendemos quem somos, quem temos sido e, mais importante ainda, quem Deus é. Todos experimentamos frustração e cansaço. Talvez devamos voltar à mensagem de Malaquias para guardar o coração do cinismo.

Pr. Allen

Damos valor à sua privacidade

Nós e os nossos parceiros armazenamos ou acedemos a informações dos dispositivos, tais como cookies, e processamos dados pessoais, tais como identificadores exclusivos e informações padrão enviadas pelos dispositivos, para as finalidades descritas abaixo. Poderá clicar para consentir o processamento por nossa parte e pela parte dos nossos parceiros para tais finalidades. Em alternativa, poderá clicar para recusar o consentimento, ou aceder a informações mais pormenorizadas e alterar as suas preferências antes de dar consentimento. As suas preferências serão aplicadas apenas a este website.

Cookies estritamente necessários

Estes cookies são necessários para que o website funcione e não podem ser desligados nos nossos sistemas. Normalmente, eles só são configurados em resposta a ações levadas a cabo por si e que correspondem a uma solicitação de serviços, tais como definir as suas preferências de privacidade, iniciar sessão ou preencher formulários. Pode configurar o seu navegador para bloquear ou alertá-lo(a) sobre esses cookies, mas algumas partes do website não funcionarão. Estes cookies não armazenam qualquer informação pessoal identificável.

Cookies de desempenho

Estes cookies permitem-nos contar visitas e fontes de tráfego, para que possamos medir e melhorar o desempenho do nosso website. Eles ajudam-nos a saber quais são as páginas mais e menos populares e a ver como os visitantes se movimentam pelo website. Todas as informações recolhidas por estes cookies são agregadas e, por conseguinte, anónimas. Se não permitir estes cookies, não saberemos quando visitou o nosso site.

Cookies de funcionalidade

Estes cookies permitem que o site forneça uma funcionalidade e personalização melhoradas. Podem ser estabelecidos por nós ou por fornecedores externos cujos serviços adicionámos às nossas páginas. Se não permitir estes cookies algumas destas funcionalidades, ou mesmo todas, podem não atuar corretamente.

Cookies de publicidade

Estes cookies podem ser estabelecidos através do nosso site pelos nossos parceiros de publicidade. Podem ser usados por essas empresas para construir um perfil sobre os seus interesses e mostrar-lhe anúncios relevantes em outros websites. Eles não armazenam diretamente informações pessoais, mas são baseados na identificação exclusiva do seu navegador e dispositivo de internet. Se não permitir estes cookies, terá menos publicidade direcionada.

Visite as nossas páginas de Políticas de privacidade e Termos e condições.

Ao navegar neste site, você aceita os cookies que usamos para melhorar sua experiência. Mais informações.