Isso que chamamos vida

É impressionante a fragilidade disso que chamamos vida. O autor do Salmo 90 é inspirado pelo Espírito Santo para nos ensinar sobre isso:

Tu reduzes o homem ao pó e dizes: Tornai, filhos dos homens. Pois mil anos, aos teus olhos, são como o dia de ontem que se foi e como a vigília da noite. Tu os arrastas na torrente, são como um sono, como a relva que floresce de madrugada; de madrugada, viceja e floresce; à tarde, murcha e seca (Sl 90.3-6).

Prestou atenção? O homem, que vem do pó, tem de retornar a ele. A dinâmica da vida humana é aqui comparada a “ser arrastado em uma torrente”. E o viço e pujança da vida são breves, como o da relva que murcha rapidamente. É o Salmo 90 dizendo que (1) somos mortais; que (2) não temos o controle que pensamos ou desejamos ter sobre nossas vidas e que (3) tudo o que nos encanta hoje, secará amanhã. Isso choca porque, para alguns de nós, isso que chamamos vida é entendido exatamente como (1) o conjunto de nossos esforços para ser e acontecer, como se não houvesse morte; (2) busca de sucesso decorrente de nosso planejamento e gestão excelentes; (3) desfrute do bom e do belo aqui e agora.

O melhor é enxergar a vida como um movimento pendular contínuo, como alternância de adoecimento e cura ou, usando outros termos, esmagamento e restauração, crucificação e ressurreição; lágrimas noturnas seguidas de alegria pela manhã (Sl 30.5). Deus faz com que seja assim, para que entendamos que a vida verdadeira só começa quando a ilusória, “neste mundo”, termina, ou seja, “quem ama a sua vida perde-a; mas aquele que odeia a sua vida neste mundo preservá-la-á para a vida eterna” (Jo 12.25).

Se Deus tiver misericórdia de nós, seremos conduzidos a “odiar” nossa vida “neste mundo”, o que não significa abrir mão de louvá-lo pela existência atual, mas implica reconhecer a insuficiência da vida aqui, seu fluxo incontrolável e sua brevidade, e sem se deixar levar pelas “aparências”, constatar que aquilo que nossa alma deseja — eternidade, paz e alegria completas —, algo que Jesus chamou de “vida abundante” (Jo 10.10), ainda que possa ser degustado aqui, em porções pequenas, está disponível somente acima de nós (em Deus) e além de nós (na eternidade com ele).

Pr. Misael.

Damos valor à sua privacidade

Nós e os nossos parceiros armazenamos ou acedemos a informações dos dispositivos, tais como cookies, e processamos dados pessoais, tais como identificadores exclusivos e informações padrão enviadas pelos dispositivos, para as finalidades descritas abaixo. Poderá clicar para consentir o processamento por nossa parte e pela parte dos nossos parceiros para tais finalidades. Em alternativa, poderá clicar para recusar o consentimento, ou aceder a informações mais pormenorizadas e alterar as suas preferências antes de dar consentimento. As suas preferências serão aplicadas apenas a este website.

Cookies estritamente necessários

Estes cookies são necessários para que o website funcione e não podem ser desligados nos nossos sistemas. Normalmente, eles só são configurados em resposta a ações levadas a cabo por si e que correspondem a uma solicitação de serviços, tais como definir as suas preferências de privacidade, iniciar sessão ou preencher formulários. Pode configurar o seu navegador para bloquear ou alertá-lo(a) sobre esses cookies, mas algumas partes do website não funcionarão. Estes cookies não armazenam qualquer informação pessoal identificável.

Cookies de desempenho

Estes cookies permitem-nos contar visitas e fontes de tráfego, para que possamos medir e melhorar o desempenho do nosso website. Eles ajudam-nos a saber quais são as páginas mais e menos populares e a ver como os visitantes se movimentam pelo website. Todas as informações recolhidas por estes cookies são agregadas e, por conseguinte, anónimas. Se não permitir estes cookies, não saberemos quando visitou o nosso site.

Cookies de funcionalidade

Estes cookies permitem que o site forneça uma funcionalidade e personalização melhoradas. Podem ser estabelecidos por nós ou por fornecedores externos cujos serviços adicionámos às nossas páginas. Se não permitir estes cookies algumas destas funcionalidades, ou mesmo todas, podem não atuar corretamente.

Cookies de publicidade

Estes cookies podem ser estabelecidos através do nosso site pelos nossos parceiros de publicidade. Podem ser usados por essas empresas para construir um perfil sobre os seus interesses e mostrar-lhe anúncios relevantes em outros websites. Eles não armazenam diretamente informações pessoais, mas são baseados na identificação exclusiva do seu navegador e dispositivo de internet. Se não permitir estes cookies, terá menos publicidade direcionada.

Visite as nossas páginas de Políticas de privacidade e Termos e condições.

Ao navegar neste site, você aceita os cookies que usamos para melhorar sua experiência. Mais informações.