A estranheza da contemplação

A contemplação é uma disciplina negligenciada. “Os céus proclamam a glória de Deus; eis o mar vasto, imenso, no qual se movem seres sem conta” (Salmos 19.1 e 104.25). Tais expressões denotam proximidade da criação e percepção das evidências da presença e cuidado divinos.

Contemplar e orar, enxergar pistas do Criador e adorar. Diminuir o ritmo, tranquilizar a alma, descansar e crer. Não fazer nada e sorrir, alegrar-se em Deus, silente, humilde e reverentemente. Quem experimentou isso na semana que passou?

Foi Davi quem disse que “no seu templo tudo diz: Glória!” (Salmo 29.9), quando não existia o templo de Jerusalém. Para ele o santuário desvendou-se em uma chuva forte, quando ouviu a “voz do SENHOR sobre as águas”, quando trovejou “o Deus da glória”, aquele que “está sobre as muitas águas” (Salmo 29.3). Vento, chuva relâmpagos e trovões. A glória do Senhor!

Ao Deus santo adoramos.
Por favor, com amor, espiritualmente,
Deus está no templo! (Hino 4 do Hinário Novo Cântico).

Como afirmou Billy Bray, a contemplação altera nossa caminhada, de modo que, ao pisarmos, o pé esquerdo diz “Glória” enquanto o direito responde “Amém”. Passamos a perceber “o amor e a graça circundantes” e somos fortalecidos no evangelho, tal como declarou P. T. Forsyth: “Foi uma vasta Criação, mas uma Salvação mais vasta”.

Em tempos de burburinho perturbador e de pressões angustiantes, somos chamados para as “margens dos riachos calmos”, onde o Senhor, nosso Pastor, nos supre com refrigério (Salmo 23.1-3). Para os que não podem contemplar os riachos, existem as árvores citadinas, além dos canteiros floridos. E para todos existe o céu, o sol e as estrelas. Sempre, em todo lugar, a natureza deixa sua marca, mesmo que somente em lembrança, como ocorreu com Francisco de Assis, que cego, compôs o poema:

Tu, sol dourado a refulgir,
Tua, lua em prata a reluzir,
Oh! Louvai-o! Oh! Louvai-o!
Aleluia! Aleluia! Aleluia! (Hino 10 do Hinário Novo Cântico).

Mas ai de nós, estamos ocupados. Tempos pouco tempo e somos pressionados pelos compromissos importantes.

Ouvi de um irmão que visitei em um hospital, que, “de tudo o que existe, o mais importante é o amor”. E isso remonta não apenas às palavras de Paulo em 1 Coríntios 13, mas às ternas lembranças das conversas afetuosas, das demonstrações de carinho, dos momentos passados juntos. Daquelas experiências humanas diante da natureza e uns dos outros. Do homem diante de Deus, contemplando e orando.

Coitados daqueles para quem a contemplação é estranha; são pobres os que não conhecem a senda da santa observação e oração.

Rev. Misael. Publicado no Boletim 021.

Damos valor à sua privacidade

Nós e os nossos parceiros armazenamos ou acedemos a informações dos dispositivos, tais como cookies, e processamos dados pessoais, tais como identificadores exclusivos e informações padrão enviadas pelos dispositivos, para as finalidades descritas abaixo. Poderá clicar para consentir o processamento por nossa parte e pela parte dos nossos parceiros para tais finalidades. Em alternativa, poderá clicar para recusar o consentimento, ou aceder a informações mais pormenorizadas e alterar as suas preferências antes de dar consentimento. As suas preferências serão aplicadas apenas a este website.

Cookies estritamente necessários

Estes cookies são necessários para que o website funcione e não podem ser desligados nos nossos sistemas. Normalmente, eles só são configurados em resposta a ações levadas a cabo por si e que correspondem a uma solicitação de serviços, tais como definir as suas preferências de privacidade, iniciar sessão ou preencher formulários. Pode configurar o seu navegador para bloquear ou alertá-lo(a) sobre esses cookies, mas algumas partes do website não funcionarão. Estes cookies não armazenam qualquer informação pessoal identificável.

Cookies de desempenho

Estes cookies permitem-nos contar visitas e fontes de tráfego, para que possamos medir e melhorar o desempenho do nosso website. Eles ajudam-nos a saber quais são as páginas mais e menos populares e a ver como os visitantes se movimentam pelo website. Todas as informações recolhidas por estes cookies são agregadas e, por conseguinte, anónimas. Se não permitir estes cookies, não saberemos quando visitou o nosso site.

Cookies de funcionalidade

Estes cookies permitem que o site forneça uma funcionalidade e personalização melhoradas. Podem ser estabelecidos por nós ou por fornecedores externos cujos serviços adicionámos às nossas páginas. Se não permitir estes cookies algumas destas funcionalidades, ou mesmo todas, podem não atuar corretamente.

Cookies de publicidade

Estes cookies podem ser estabelecidos através do nosso site pelos nossos parceiros de publicidade. Podem ser usados por essas empresas para construir um perfil sobre os seus interesses e mostrar-lhe anúncios relevantes em outros websites. Eles não armazenam diretamente informações pessoais, mas são baseados na identificação exclusiva do seu navegador e dispositivo de internet. Se não permitir estes cookies, terá menos publicidade direcionada.

Visite as nossas páginas de Políticas de privacidade e Termos e condições.

Ao navegar neste site, você aceita os cookies que usamos para melhorar sua experiência. Mais informações.