Isso não é banal

Efésios 2.1-5

“Ele vos deu vida, estando vós mortos nos vossos delitos e pecados, nos quais andastes outrora, segundo o curso deste mundo, segundo o príncipe da potestade do ar, do espírito que agora atua nos filhos da desobediência; entre os quais também todos nós andamos outrora, segundo as inclinações da nossa carne, fazendo a vontade da carne e dos pensamentos; e éramos, por natureza, filhos da ira, como também os demais. Mas Deus, sendo rico em misericórdia, por causa do grande amor com que nos amou, e estando nós mortos em nossos delitos, nos deu vida juntamente com Cristo, — pela graça sois salvos,”

No texto de Efésios 2.1-5, o apóstolo Paulo escreve sobre o grande privilégio de pertencermos a Cristo. Ele apresenta nossa situação antes de conhecermos ao Senhor (v. 1-3): mortos, sem esperança e distantes do Criador. Desde o momento em que o homem abandonou a Deus (Gênesis 3), a morte entrou em cena. Mas graças a Deus pela frase: “todavia, Deus…” (v. 4). Deus tomou a iniciativa de enviar Jesus para pagar o preço que nós não conseguiríamos pagar. Através do sacrifício de Cristo, nós passamos da morte para a vida, fomos reconciliados com Deus e hoje temos livre acesso à sua presença. Acesso este que havia sido impedido pelo pecado de Adão e agora foi novamente aberto pela obra de Cristo. Tudo isso aconteceu pela graça — pela graça nós fomos salvos e isto não veio de nós, foi dom de Deus. Não foi porque merecemos mas porque Deus é bom e misericordioso! Esse é o maior milagre que o ser humano poderia receber

O grande problema é que para muitos cristãos, esse evangelho que Paulo resume em Efésios 2 tem caído no esquecimento, ou pior ainda, tem se tornado algo banal. Já não nos emocionamos mais com o que Cristo fez por nós, já não nos empolgamos mais com as boas novas, já não nos surpreendemos mais, não nos alegramos mais em Deus. Para muitos, a vida cristã se tornou tão monótona, tão sem graça, sem sal e sem vida, que acabamos nos acostumando com ela. Consequentemente, já não nos alegramos e festejamos mais com a salvação pela graça conquistada por Cristo na cruz do Calvário.

É triste ver cristãos que se acostumaram com a vida cristã. Vão à igreja porque é costume e faz bem para a consciência. Leem a Bíblia para cumprir um ritual e fazem orações mecânicasa. Entram e saem da igreja como se tudo aquilo fosse banal.

Precisamos repensar nossa caminhada com Deus! Não podemos perder nunca a alegria da salvação pela graça. Não podemos deixar nunca de festejar e nos alegrar com o que Cristo fez por nós, tirando-nos da morte e nos trazendo vida plena e reconciliação com Deus. O que Jesus fez por nós não é algo banal, não é algo que deve cair no esquecimento ou com o que devemos meramente nos acostumar. A obra que Cristo realizou por nós deve ser lembrada todos os dias de nossas vidas, deve ser pregada nos quatro cantos da terra, deve ser cantada, anunciada, celebrada, porque Deus é bom e sua misericórdia dura para sempre.

Se Deus não tivesse tomado a iniciativa, onde estaríamos agora? Se Deus não tivesse olhado com graça para nós, estaríamos mortos. Se ele não tivesse enviado seu único filho, Jesus Cristo, para morrer em nosso lugar, o que seria de nós? Por isso, nunca deixe que a vida cristã se torne algo banal para você. Tenha isso como motivo de grande alegria e agradeça a Deus pela salvação concedida em Cristo Jesus.

Seminarista Thiago. Publicado no Boletim 144, de 30/09/2012.

Damos valor à sua privacidade

Nós e os nossos parceiros armazenamos ou acedemos a informações dos dispositivos, tais como cookies, e processamos dados pessoais, tais como identificadores exclusivos e informações padrão enviadas pelos dispositivos, para as finalidades descritas abaixo. Poderá clicar para consentir o processamento por nossa parte e pela parte dos nossos parceiros para tais finalidades. Em alternativa, poderá clicar para recusar o consentimento, ou aceder a informações mais pormenorizadas e alterar as suas preferências antes de dar consentimento. As suas preferências serão aplicadas apenas a este website.

Cookies estritamente necessários

Estes cookies são necessários para que o website funcione e não podem ser desligados nos nossos sistemas. Normalmente, eles só são configurados em resposta a ações levadas a cabo por si e que correspondem a uma solicitação de serviços, tais como definir as suas preferências de privacidade, iniciar sessão ou preencher formulários. Pode configurar o seu navegador para bloquear ou alertá-lo(a) sobre esses cookies, mas algumas partes do website não funcionarão. Estes cookies não armazenam qualquer informação pessoal identificável.

Cookies de desempenho

Estes cookies permitem-nos contar visitas e fontes de tráfego, para que possamos medir e melhorar o desempenho do nosso website. Eles ajudam-nos a saber quais são as páginas mais e menos populares e a ver como os visitantes se movimentam pelo website. Todas as informações recolhidas por estes cookies são agregadas e, por conseguinte, anónimas. Se não permitir estes cookies, não saberemos quando visitou o nosso site.

Cookies de funcionalidade

Estes cookies permitem que o site forneça uma funcionalidade e personalização melhoradas. Podem ser estabelecidos por nós ou por fornecedores externos cujos serviços adicionámos às nossas páginas. Se não permitir estes cookies algumas destas funcionalidades, ou mesmo todas, podem não atuar corretamente.

Cookies de publicidade

Estes cookies podem ser estabelecidos através do nosso site pelos nossos parceiros de publicidade. Podem ser usados por essas empresas para construir um perfil sobre os seus interesses e mostrar-lhe anúncios relevantes em outros websites. Eles não armazenam diretamente informações pessoais, mas são baseados na identificação exclusiva do seu navegador e dispositivo de internet. Se não permitir estes cookies, terá menos publicidade direcionada.

Visite as nossas páginas de Políticas de privacidade e Termos e condições.

Ao navegar neste site, você aceita os cookies que usamos para melhorar sua experiência. Mais informações.