Novos crimes, antigas posturas (3)

Seguimos na conversa sobre a criminalização da “homofobia”. Caso você deseje ver como chegamos aqui confira as pastorais dos últimos dois boletins, publicadas em http://ipbriopreto.org.br/blog.

Os princípios para melhor compreendermos e respondermos a esse desafio podem ser resumidos nos seguintes tópicos:

  1. Somos chamados, pela Escritura, a demonstrar graça.
  2. Rejeitamos a camisa de força semântica chamada “homofobia”.
  3. Rejeitamos a pressão secularista e dualista que a agenda LGBTI nos impõe.

E assim podemos continuar:

  1. Somos comissionados a chamar os homens ao arrependimento. Chamar ao arrependimento implica denunciar o erro. Porque Deus é santo, o pecado deve ser reconhecido e abandonado. A mensagem do evangelho anuncia a feiura do pecado e a beleza da graça de Deus. Os dois aspectos devem ser mencionados: se apresentarmos apenas a feiura do pecado, levaremos as pessoas ao desespero; se anunciarmos apenas a graça, ninguém entenderá por que ela é necessária.

Tudo isso deve ser reconhecido porque, nessa tarefa de chamar os homens ao arrependimento, é nosso dever diante de Deus e também é manifestação de amor ao próximo afirmar os desvios sexuais como pecado e chamar os LGBTI ao arrependimento.

Projetos de lei que visam criminalizar a “homofobia” tendem a não fazer a distinção entre críticas preconceituosas e o anúncio do pecado como manifestação de amor. Isso significa que a comunicação cristã será mal interpretada em diversas ocasiões, e que os cristãos serão alvo de tais leis.

Mas, se entendemos que a fé é concedida mediante a pregação do evangelho, se o nosso compromisso com Deus é maior do que o temor de homens, se o nosso amor pelos perdidos é maior do que o apego ao nosso conforto, então teremos de denunciar o comportamento LGBTI como ofensivo à santidade de Deus, e apontar para a graça salvadora de Jesus.

Tal comunicação jamais deve ser pretexto para ofensas gratuitas ou manifestação de preconceito. A denúncia do pecado visa alertar o pecador quanto a sua condição, e ganhar o seu coração. Não seremos desrespeitosos no trato, nem seremos intimidados por qualquer lei que tente nos constranger a ficar calados. [Continua…]

Pr. Allen

Damos valor à sua privacidade

Nós e os nossos parceiros armazenamos ou acedemos a informações dos dispositivos, tais como cookies, e processamos dados pessoais, tais como identificadores exclusivos e informações padrão enviadas pelos dispositivos, para as finalidades descritas abaixo. Poderá clicar para consentir o processamento por nossa parte e pela parte dos nossos parceiros para tais finalidades. Em alternativa, poderá clicar para recusar o consentimento, ou aceder a informações mais pormenorizadas e alterar as suas preferências antes de dar consentimento. As suas preferências serão aplicadas apenas a este website.

Cookies estritamente necessários

Estes cookies são necessários para que o website funcione e não podem ser desligados nos nossos sistemas. Normalmente, eles só são configurados em resposta a ações levadas a cabo por si e que correspondem a uma solicitação de serviços, tais como definir as suas preferências de privacidade, iniciar sessão ou preencher formulários. Pode configurar o seu navegador para bloquear ou alertá-lo(a) sobre esses cookies, mas algumas partes do website não funcionarão. Estes cookies não armazenam qualquer informação pessoal identificável.

Cookies de desempenho

Estes cookies permitem-nos contar visitas e fontes de tráfego, para que possamos medir e melhorar o desempenho do nosso website. Eles ajudam-nos a saber quais são as páginas mais e menos populares e a ver como os visitantes se movimentam pelo website. Todas as informações recolhidas por estes cookies são agregadas e, por conseguinte, anónimas. Se não permitir estes cookies, não saberemos quando visitou o nosso site.

Cookies de funcionalidade

Estes cookies permitem que o site forneça uma funcionalidade e personalização melhoradas. Podem ser estabelecidos por nós ou por fornecedores externos cujos serviços adicionámos às nossas páginas. Se não permitir estes cookies algumas destas funcionalidades, ou mesmo todas, podem não atuar corretamente.

Cookies de publicidade

Estes cookies podem ser estabelecidos através do nosso site pelos nossos parceiros de publicidade. Podem ser usados por essas empresas para construir um perfil sobre os seus interesses e mostrar-lhe anúncios relevantes em outros websites. Eles não armazenam diretamente informações pessoais, mas são baseados na identificação exclusiva do seu navegador e dispositivo de internet. Se não permitir estes cookies, terá menos publicidade direcionada.

Visite as nossas páginas de Políticas de privacidade e Termos e condições.

Ao navegar neste site, você aceita os cookies que usamos para melhorar sua experiência. Mais informações.